Regulamento Pedagógico

No caso dos Alunos, que tolerância existe para o atraso a uma aula? E no caso dos professores?

A tolerância para todas as aulas é de 10 minutos para os alunos, apesar de dever existir maior tolerância e flexibilidade no caso de deslocações fora do Centro Académico de Medicina de Lisboa. No caso do docente, sem aviso prévio aos alunos, se atrasar mais do que 15 minutos, a aula deixa de ter caráter obrigatório, embora possa ser lecionada.

 

Qual a assiduidade mínima nas aulas práticas e teórico-práticas?

É obrigatória a presença em 2/3 das aulas práticas e teórico-práticas. Caso tenhas as duas componentes, a contabilização de faltas é feita independentemente nos dois tipos de aula (1/3 das aulas práticas e 1/3 das aulas teórico-práticas).

 

Se faltar a uma aula, como é que a posso justificar?

O atestado ou comprovativo da falta às aulas deve ser entregue no Secretariado responsável pela disciplina, num período máximo de 10 dias úteis, contabilizados a partir do dia da falta. Quando o atestado se referir a um período superior a 5 dias deverá igualmente ser enviado pelo aluno para a Área Académica.

 

Se chumbar na avaliação contínua posso ir a exame teórico?

A reprovação à avaliação contínua não impede o acesso ao exame teórico, mas invalida a aprovação à unidade curricular.

 

Quem tem acesso à Época de Exames Específica?

Os alunos trabalhadores-estudantes ou com outros estatutos (dirigentes associativos, praticantes de desporto de alta competição, por exemplo.) beneficiam de uma época de exames adicional (Época Específica), prevista na legislação e fixada na 1.ª quinzena de setembro para o 1º, 2º e 3º anos curriculares e na 2.ª quinzena de setembro para o 4º e 5º anos curriculares.

 

Quem tem acesso à Época de Exames Especial?

Nos 3.º e 5.º anos há uma Época Especial (3.ª época) à qual podem aceder todos os alunos que não tenham obtido aprovação a alguma área disciplinar.

 

O que é um OSCE?

Um OSCE (Objective Structured Clinical Examination) é uma avaliação da performance dos alunos numa variedade de competências clínicas. O OSCE consiste numa série de estações, com duração recomendada de 5 a 20 minutos cada, devendo o aluno passar por todas elas. Podem ser avaliadas diversas competências, nomeadamente: colheita da história clínica, exame objetivo, capacidades de comunicação com o doente, raciocínio clínico e capacidades técnicas.

 

Na FMUL posso fazer exame de defesa de nota? E melhoria por prova oral?

Nem as orais de defesa de nota nem as melhorias por prova oral estão previstas no Regulamento Pedagógico da FMUL.

 

Posso fazer melhoria numa prova oral?

Sim.

 

Quando deixo a componente teórica por fazer mas concluo a contínua, tenho de repetir tudo no ano seguinte?

Neste caso, não será necessário repetir a componente prática, apenas a teórica. A classificação obtida na avaliação prática é válida nos 2 anos letivos seguintes. O mesmo é válido para o caso do aluno completar a avaliação final e reprovar na avaliação contínua.

 

Se tiver creditações a uma ou mais áreas disciplinares da mesma Unidade Curricular, como é que é feita a classificação final?

As áreas disciplinares creditadas conservam as classificações obtidas nos estabelecimentos de ensino superior onde foram realizadas.

 

Após a realização de um exame, até quando devem ser divulgadas as classificações?

As classificações de uma prova devem ser divulgadas nos 9 dias úteis seguintes à avaliação, e no mínimo 3 dias úteis antes do exame de 2ª chamada da mesma Unidade Curricular.

 

Quais os requisitos para uma questão de exame ser anulada?

A anulação de questões de provas de avaliação escrita ocorre após verificação, por parte do Docente, de que a referida questão (pelo menos uma das seguintes):

  • Não corresponde aos conteúdos programáticos da área disciplinar;

  • Corresponde a matéria que não foi lecionada em aulas e que não consta dos elementos de estudo fornecidos aos alunos;

  • Está formulada de forma incorreta, incompleta, ambígua, linguisticamente incorreta ou ilógica cientificamente;

  • É de escolha múltipla e apresenta mais do que uma opção que pode ser considerada correta, sendo que apenas uma opção deve ser selecionada;

  • Tem alíneas repetidas.

 

O que é uma consulta de prova e como posso fazê-la?

A consulta de prova é um procedimento em que os alunos, após a realização, correção e classificação de qualquer exame escrito, têm direito a ter acesso a todos os elementos escritos de avaliação (enunciado, folha de respostas e grelha de correção). Os  prazos estabelecidos para a consulta de prova são afixados juntamente com as pautas de classificação da respetiva prova.

O prazo de consulta não pode ser inferior a 48 horas e esta deve ser facultada até 3 dias úteis antes da realização de qualquer outra avaliação da mesma Área Disciplinar ou Unidade Curricular. Para a realização da consulta de prova basta a presença de um funcionário do Instituto responsável.

Para a realizares terás de te deslocar até ao Instituto respetivo no dia estipulado, mediante ou não pré-inscrição na mesma, consoante as informações dadas pelo Secretariado da Área Disciplinar.

 

O que é uma revisão de prova?

A revisão de prova consiste na análise das questões apontadas pelo aluno como potencialmente mal corrigidas/classificadas/elaboradas com vista à sua reapreciação e atribuição de uma classificação definitiva que poderá ser superior, idêntica ou inferior à inicialmente obtida.

Para isso é necessário que o aluno, presencialmente, submeta um pedido formal na Área Académica até 3 dias úteis após ter realizado a consulta de prova. A revisão é efetuada por um júri de docentes e deverá ocorrer num prazo não superior a 72 horas após o requerimento, sendo o resultado da análise efetuada comunicado ao aluno após o pagamento dos respetivos emolumentos estipulados.

 

Preciso de ter classificação positiva em todos os componentes de avaliação de uma unidade curricular?

Sim, para obter aprovação a uma Unidade Curricular/Área Disciplinar é necessário ter classificação positiva em todos os componentes de avaliação. Assim, nenhuma das diferentes componentes (teórico, teórico-prática, prática e seminário) pode ser inferior a 9,5 valores.

 

Como é feita a avaliação das Atividades Optativas?

O formato depende de cada área disciplinar mas deverá incluir sempre a assiduidade. As classificações obtidas nestas atividades do núcleo curricular optativo são expressas, qualitativamente, por aprovado, reprovado ou não avaliado (atribuído automaticamente quando o aluno não tem 2/3 de assiduidade).

 

Como devo proceder para fazer uma Melhoria?

Para fazeres um exame para melhoria de classificação tens de ter em conta que:

  • Só podes fazer melhoria ao exame de uma Unidade Curricular/Área Disciplinar uma vez ao longo do teu ciclo de estudos (ou seja, do 1º ao 3º ano e do 4º ao 5º ano);

  • Só o podes fazer numa das duas épocas de exames que se seguem àquela em que obtiveste aprovação à respetiva Unidade Curricular/Área Disciplinar. (por exemplo: se quiseres fazer exame de Melhoria ao Módulo I.I. (BMC) e tiveres concluído na 1ª chamada do 1º ano, apenas poderás fazer uma vez, ou na 2ª chamada do mesmo ano, ou na 1ª chamada do ano letivo seguinte).

Os alunos que tenham ingressado no MIM antes do ano letivo 2013/2014 não são abrangidos por esta regra, podendo realizar exames de melhoria de unidades curriculares de ambos os ciclos de estudos.

Estando em condições de fazer a melhoria, e com a antecedência mínima de 3 dias úteis antes da data da realização do exame, basta inscreveres-te na plataforma FenixEdu, no separador Aluno. Para mais informações consulta o Manual de Inscrição em Melhoria de Nota.

 

Posso anular a minha inscrição numa melhoria?

Sim. A inscrição em melhoria de nota pode ser anulada até à data limite de inscrição na mesma.

  • "A minha classificação aumentou após revisão de prova, como posso desinscrever me da melhoria, tendo tomado conhecimento disto apenas após o término do período de inscrição na mesma?"


A desinscrição apenas pode ser feita mediante a apresentação de um requerimento dirigido ao Diretor. No entanto, caso a pré-inscrição se tenha tornado definitiva esta não pode ser cancelada pois já se encontra em pauta sendo apenas possível anular o emolumento associado à inscrição.

 

"Se inicialmente estava reprovado e após revisão de prova, obtive classificação mínima para passar como posso desinscrever me da 2ª fase?"

Uma vez criada a pauta de 2ª época a plataforma não permite a desinscrição. Contudo, a Área Académica juntamente com os Pólos Administrativos procuram encontrar uma solução que permita ultrapassar esta situação, para mais informação contacta academica@medicina.ulisboa.pt.

 

Tive creditação a uma certa disciplina que fiz noutro curso. Posso fazer melhoria na FMUL?

Não.

 

Quais as condições para transitar de ano?

Para todos os anos curriculares é permitida a transição de ano a alunos com o número máximo de 24 ECTS em atraso. Excepcionalmente para o 1º ano curricular, é permitida a transição de ano com 25 ECTS em atraso, quando esta situação for resultante da reprovação a duas unidades curriculares.

Em caso de transição, é permitida a inscrição nos 24 ECTS de unidades curriculares em atraso, até um máximo de 84 ECTS por ano.

Tendo em consideração que o 3º ano é final de ciclo com atribuição de grau de estudos e que o 6º ano é um estágio clínico profissionalizante, a transição para o 4º e 6º anos só pode ocorrer com todas as atividades letivas concluídas, sem aplicação dos pontos anteriores.

 

Se chumbar, posso inscrever-me a disciplinas do ano seguinte?

Sim. Os alunos com mais de 24 ECTS em atraso, e, portanto, chumbados, podem inscrever-se em unidades curriculares do ano subsequente ou unidades curriculares avançadas (UCAs), até um total de 60 ECTS.

Para tal deves enviar um e-mail para ggc@medicina.ulisboa.pt, no período de tempo definido para o efeito e anexando o formulário requerido, disponível no Portal da Faculdade.

 

Qual o número máximo de anos para realizar o curso de medicina?

O número máximo de anos para a conclusão do Curso Mestrado Integrado em Medicina é de 9 anos.

Emolumentos

Qual o valor das propinas?

O valor das propinas para o ano letivo 2017/2018 é de 1063,47€.

Este valor pode ser pago em 7 prestações:

1ª prestação: 157, 47€ no ato de inscrição/ matrícula (até 31 de janeiro para bolseiros de ação social)

2ª prestação: 151€ até 31 de janeiro (até 28 de fevereiro para bolseiros de ação social)

3ª prestação: 151€ até 28 de fevereiro (até 31 de março para bolseiros de ação social)

4ª prestação: 151€ até 31 de março (até 30 de abril para bolseiros de ação social)

5ª prestação: 151€ até 30 de abril (até 31 de maio para bolseiros de ação social)

6ª prestação: 151€ até 31 de maio (até 30 de junho para bolseiros de ação social)

7ª prestação: 151€ até 30 de junho (até 31 de julho para bolseiros de ação social)

 

Quanto tenho de pagar para fazer uma revisão de prova?

O pedido de requerimento para uma revisão de prova implica o pagamento de 15€. Caso, após revisão, a nota seja alterada (superior ou inferior à classificação inicial) os emolumentos deverão ser restituídos ao aluno.

Quanto tenho de pagar para fazer uma melhoria?

A inscrição em melhoria de nota apenas implica o pagamento de 15€, após tomada de conhecimento do resultado do exame quando o aluno não comparece ao exame ou quando não melhora a classificação obtida anteriormente.

  • Quanto tenho de pagar por pedir creditações?

No Núcleo Curricular Optativo:

  • até 6 ECTS por atividades da FMUL, AEFML, ANEM e IFMSA: 10€

  • até 6 ECTS por atividades de outras entidades: 40€

  • por cada ECTS extra: 5€

 

 

No Núcleo Curricular Obrigatório:

  • por cada Área Disciplinar: 20€

 
6º Ano

Continuo a pagar propinas no 6º ano?

Sim.

 

Qual a entidade responsável pelos estágios do 6º ano?

A organização e a gestão do Estágio Clínico são da responsabilidade da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, sendo a sua concretização assegurada por protocolos de cooperação com as Administrações Regionais de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo, Algarve e das Regiões Autónomas e protocolos com hospitais públicos nacionais e outras instituições julgadas convenientes.

 

Posso realizar parte do 6º ano num país estrangeiro?

Sim. As instituições de acolhimento têm de pertencer a estados membros da UE e ser hospitais universitários mas não têm de ter protocolo ou acordo com a FMUL. O local escolhido fica sujeito a aprovação por parte do Coordenador dos Programas de Cooperação Internacional. Cada estudante é responsável por identificar o seu local de estágio, tendo como tarefa fazer os primeiros contactos diretamente junto das instituições do seu interesse e apresentar‐lhes a sua candidatura. A única excepção prende‐se com as mobilidades para o Imperial College London (ICL), University College London (UCL) e o King’s College London (KCL).

Mais informações disponíveis na secção “Mobilidade” do Portal da Faculdade.

 

Qual a duração do estágio do 6º ano?

36 semanas.

 

Quais as especialidades que tenho de frequentar? E durante quanto tempo?

As especialidades e as respetivas durações dos estágios são: Medicina Interna (12 semanas), Cirurgia Geral (6 semanas), Pediatria (6 semanas), Obstetrícia-Ginecologia (2 semanas em Obstetrícia e 2 semanas em Ginecologia), Medicina Geral e Familiar (6 semanas) e Saúde Mental (2 semanas).

 

Qual o rácio tutor:aluno no estágio do 6º ano?

O rácio tutor: aluno é genericamente 1:1.

 

Quantas faltas posso dar?

Os limites mínimos de assiduidade para cada uma das áreas e sub-áreas de Estágio Clínico são os seguintes:

  • Medicina – 48 dias úteis;

  • Cirurgia – 24 dias úteis;

  • Pediatria – 24 dias úteis;

  • Medicina Geral e Familiar – 24 dias úteis;

  • Saúde Mental, Obstetrícia, Ginecologia – 8 dias úteis

No entanto, mais do que 5 faltas injustificadas ao longo das 36 semanas de Estágio implicam perda de frequência global.

 

O que é o Dossier do Aluno Online?

O Dossier do Aluno Online do Estágio Clínico é uma ferramenta disponível para alunos, orientadores, coordenadores e diretores, através do link: www.medicina.ulisboa.pt/dossieraluno. Deve ser utilizado pelo aluno estagiário como um instrumento de trabalho pessoal durante o respetivo período da formação. Está disponível para o respetivo orientador, para fins de avaliação.

O Dossier do Aluno Online deverá estar completamente preenchido, no prazo máximo de dez dias úteis após o final de cada estágio. O não preenchimento do Dossier Online impedirá o aproveitamento na área ou sub-área de formação do Estágio Clínico.

 

Como é feita a avaliação do 6º ano?

Para cada estágio, é atribuída ao aluno uma classificação através de um número inteiro entre 0 e 20 valores. Classificações inferiores a 10 valores impedem o aproveitamento.

Para a atribuição da classificação são utilizados os seguintes critérios:

    • Competência Clínica do Estagiário;

    • Comportamento e Atitudes do Estagiário.
       

  • Como calculo a nota final do 6º ano?


A classificação final do Estágio Clínico resulta do somatório das classificações ponderadas em cada uma das áreas e sub-áreas de formação obrigatória do Estágio Clínico, dividida pelo somatório dos respectivos factores de ponderação. A formulá é a seguinte:

Classificação Contínua = [(M x 12) + (C x 6) + (P x 6) + (OG x 4) + (MGF x 6) + (SM x 2)] / 36

M = Medicina; C = Cirurgia; P = Pediatria; OG = Obstetrícia e Ginecologia; MGF= Medicina Geral e Familiar; SM= Saúde Mental

 
 
Trabalho Final de Mestrado

Quais as modalidades de trabalho que posso fazer?

Pode fazer-se 2 tipos de trabalhos:

  • “tipo” Artigo Científico, de investigação básica ou clínica (estando aqui incluída a investigação centrada em casos clínicos);

  • Artigo de Revisão.

 

Quando é que tenho de entregar a Proposta de Orientador e Unidade Estrutural Associada ao Trabalho Final?

A Proposta deve ser entregue até ao dia 31 de dezembro do 6º ano, na Área Académica.

 

Qual a data limite para entregar o trabalho completo?

O Trabalho Final de Mestrado completo deve ser entregue até ao dia 30 de abril do 6º ano e pelo menos 15 dias úteis antes da Prova Pública.

 

Quando é que posso apresentar o Trabalho Final?

A apresentação do TFM, chamada Prova Pública, realiza-se na Unidade associada ao trabalho, e deve acontecer até ao dia 31 de julho do 6º ano. Nesta Prova Pública, o aluno tem 15 minutos para apresentação oral, ao que se seguem 45 minutos de discussão pelos membros do júri.

 

Como é feita a avaliação do Trabalho Final de Mestrado?

A classificação do TFM é de Aprovado ou Não Aprovado.