Dec
20
6:00 PM18:00
FAL

IX ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA FAL

10483905_1507011312890549_5464299414576042818_o.jpg

Proposta de Revisão Estatutária

Na 9ª AG Extraordinária da FAL, a Direção-Geral apresentou uma Proposta de Revisão Estatutária. Esta houvera sido elaborada por uma Comissão constituída para o efeito, composta por 9 elementos, entre os quais o Presidente da Mesa da Assembleia Geral (Miguel Monteiro), o Presidente do Conselho Fiscal (Luís Álvares de Freitas) e os Presidente e Administrador da Direção-Geral (João Rodrigues e José Pais, respetivamente) e um elemento de cada Colégio.

Das principais alterações, destacam-se:

  • Definição clara da região territorial que possibilita a adesão de um associado à FAL;

  • Possibilidade da FAL poder posicionar-se relativamente ao caráter concordatário do Ensino Superior (anteriormente não previsto);

  • Clarificação da definição de membro e associado, e sua distinção;

  • Adição da vertente Disciplinar ao Conselho Fiscal (passando o mesmo a designar-se por Conselho Fiscal e Disciplinar) e adição do Procedimento Disciplinar do mesmo;

  • Alteração do número de Colégios;

  • Adição de dois membros à Direção-Geral;

  • Adição de um ponto sobre a utilização do Kit de Normas da FAL, pelo qual se deve reger toda a Imagem da Federação;

  • Redução do intervalo entre a primeira e a segunda chamada, no caso de não existência de quórum no início das AGs;

  • Restabelecimento de direito de voto das AAEEs que o tenham perdido, apenas para a Assembleia Eleitoral.

Esta Proposta de Revisão dos Estatutos foi votada e aprovada por unanimidade, encontrando-se em vigor imediatamente após a sua aprovação.

Contudo, cabe aos Órgãos Sociais da FAL, proceder ao cumprimento dos procedimentos burocráticos necessários até à publicação efetiva da Retificação de Alteração de Estatutos, realizada por um Notário, bem como a respetiva atualização no Portal da Justiça.

Regulamento e Calendário Eleitoral

A Comissão Eleitoral apresentou o Regulamento do Processo Eleitoral referente aos Órgãos Sociais da Federação Académica de Lisboa, para o mandato do ano civil de 2019.

Apresentou ainda o Calendário Eleitoral de 2019, com todas as datas afetas ao processo eleitoral, bem como toda a documentação necessária para o decorrer do processo (Modelo de Credenciação; Fichas de Candidatura (Individual e conjunta), Modelo de Subscrição de Candidatura).

View Event →
Dec
15
to Dec 16

ENDA ALGARVE

 
Layer+0.png
 

A AEFML esteve presente no Encontro Nacional de Direções Associativas, nos dias 15 e 16 de dezembro, na Universidade do Algarve, Campus de Gambelas.

Plenário B: Ação Social e Financiamento

[AEFCSH] Por um Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior Efectivo

AEFML votou abstenção

Votação: 9 votos a favor | 40  votos contra | 23 abstenção | 0 direito de não voto

[AAL] Alojamento Estudantil um Problema Atual, uma Solução Real

AEFML votou abstenção

Votação: 25 votos a favor | 30 votos contra | 16 abstenção | 1 direito de não voto

[FAL] Passe Sub23, Um Passe Para Todos os Estudantes?

AEFML votou a favor

Votação: 68  votos a favor | 0 votos contra | 2 abstenção | 2 direito de não voto

[FAL] Por um Complemento de Alojamento mais justo no Ensino Superior

Passou para o Plenário de Medidas Conjuntas (ver adiante)


[FAL] Redução de Valor da Propina de 1ºCiclo

Moção Retirada

A votação desta moção ocorreu por pontos sendo que, tendo sido o primeiro ponto chumbado, a Direção da FAL retirou logo após a primeira votação.


[FAP] Mais uma Solução para o Alojamento Estudantil

Passou para o Plenário de Medidas Conjuntas (ver adiante)



[FNAEESP] Exigência do Pagamento das Bolsas de Estudo

AEFML votou a favor

Votação: 69  votos a favor | 0 votos contra | 3 abstenção | 0 direito de não voto

[FNAEESP] Pelo Aumento do Complemento de Alojamento

Passou para o Plenário de Medidas Conjuntas (ver adiante)

Plenário C: Orçamento de Estado

[AEFCSH] Balanço do Orçamento do Estado 2019

[FAP-FAL] Balanço do Orçamento do Estado 2019 - Moção Conjunta OE 2019

Votação: Esta votação ocorreu em alternativa, dados os âmbitos coincidentes das mesmas. A AEFML votou a favor da FAP-FAL. Posteriormente esta moção foi votada ponto por ponto, tendo os resultados dos diferentes pontos sido:

  • Introdução: 66 votos a favor | 0 votos contra | 2 abstenção | 0 direito de não voto

  • 1º ponto: 66 votos a favor | 0 votos contra | 2 abstenção | 0 direito de não voto

  • 2º ponto: 59 votos a favor | 0 votos contra | 5 abstenção | 4 direito de não voto

  • 3º ponto: 66 votos a favor | 0 votos contra | 2 abstenção | 0 direito de não voto

  • 4º ponto: x votos a favor | x votos contra | x abstenção | x direito de não voto (não anotado)

  • 5º ponto: 63 votos a favor | 2 votos contra | 3 abstenção | 0 direito de não voto

  • 6º ponto: 66 votos a favor | 1 votos contra | 1 abstenção | 0 direito de não voto

  • 7º ponto: 67 votos a favor | 0 votos contra | 1 abstenção | 0 direito de não voto

  • 8º ponto: 64 votos a favor | 0 votos contra | 4 abstenção | 0 direito de não voto

  • 9º ponto: 66 votos a favor | 0 votos contra | 2 abstenção | 0 direito de não voto

  • 10º ponto: 67 votos a favor | 1 votos contra | 0 abstenção | 0 direito de não voto

  • 11º ponto: 66 votos a favor | 0 votos contra | 2 abstenção | 0 direito de não voto

  • 12º ponto: 67 votos a favor | 1 votos contra | 1 abstenção | 0 direito de não voto

  • 13º ponto: 68 votos a favor | 0 votos contra | 0 abstenção | 0 direito de não voto

  • Globalidade do Documento: 67 votos a favor | 0 votos contra | 1 abstenção | 0 direito de não voto
    A AEFML votou a favor em todos os pontos acima explanados.

Plenário D: Órgãos Nacionais

Sem moções apresentadas

Plenário E: Deposto e Internacionalização

No Plenário A: Plenário Inicial do ENDA Algarve, o Presidente da Federação Académica de Desporto Universitário (FADU), Daniel Monteiro, fez uma intervenção sobre a integração do Plenário E: Desporto e Internacionalização na Convocatória do ENDA. Este transpareceu alguma indignação relativamente à presença da temática do Desporto no ENDA, uma vez que a mesma poderia ser discutida em sede das Assembleias Gerais da FADU, onde as Associações de Estudantes do Ensino Superior (AAEEs) estão representadas.

A organização do ENDA justificou que a sua intenção tinha sido criar um espaço de debate sobre este tema, trazendo a proposta do Plenário E à votação, estando a mesma desprovida de proveitos políticos. Esta lamentou ainda não ter contactado diretamente a FADU sobre este assunto, por falta de timing.

Posto isto, foi proposto pelo Daniel Monteiro, subscrito pela Federação Académica do Porto (FAP), que se retirasse a temática do “Desporto” do Plenário E. Dado que não existiam também moções sobre Internacionalização, a Federação Académica de Lisboa (FAL) propôs a eliminação do Plenário E: Desporto e Internacionalização.

Posto isto, a retirada do Plenário E: Desporto e Internacionalização foi votada. | AEFML votou a favor

Votação: 44 votos a favor | 15 voto contra | 5 abstenção | 0 direito de não voto

Plenário F: Medidas Conjuntas

[AEFCSH] 50 Anos da Crise Académica de 1969: Afirmação das Aspirações do Passado no Presente

AEFML votou contra

Votação: 9  votos a favor | 49 votos contra | 20 abstenção | 0 direito de não voto

[FAL] Pela Promoção da Diferenciação Académica e Criação de Perfis Institucionais

AEFML votou a favor

Votação: 55  votos a favor | 1 voto contra | 20 abstenção | 2 direito de não voto

[FAL] Por um Ensino Superior que contribua na Mobilidade Social

AEFML votou a favor

Votação: 54  votos a favor | 1 voto contra | 16 abstenção | 0 direito de não voto

[FAL] Votação Redução de Vagas

AEFML votou a favor

Votação: 67  votos a favor | 2 votos contra | 2 abstenção | 0 direito de não voto

[FAL] A Pedagogia de Bolonha

AEFML votou a favor

Votação: 54  votos a favor | 3 votos contra | 14  abstenção | 0 direito de não voto

[FAL] Por Um Ensino Superior Mais Adaptado a Estudantes Internacionais

AEFML votou a favor

Votação: 39  votos a favor | 9 votos contra | 23  abstenção | 0 direito de não voto

[FNAEESP] Pela Definição de Estratégia Nacional - Princípios de Bolonha

AEFML votou a favor

Votação: 6  votos a favor | 45 votos contra | 20  abstenção | 0 direito de não voto

[FAL + FAP + FNAESP] Por um complemento de Alojamento mais justo no Ensino Superior

AEFML votou a favor

Votação na globalidade: 59  votos a favor | 5 votos contra | 7  abstenção | 0 direito de não voto

Plenário G: Plenário Final

Pelo ENDA Aveiro (16 e 17 de março) |  AEFML votou abstenção  (pela coincidência com a atividade 10th AIMS Meeting)

Votação: 46  votos a favor | 0  votos contra | 1 abstenção | 0 direito de não voto


Pelo ENDA Extraordinário (15 de março)

AEFML votou abstenção (pela coincidência com a atividade 10th AIMS Meeting)

Votação: 46  votos a favor | 0  votos contra | 1 abstenção | 0 direito de não voto

Nota: Este ENDA Extraordinário teria como finalidade a discussão e votação de um novo Regimento do ENDA

View Event →
Dec
14
to Dec 16

124ª Assembleia Geral

ag_124.png

A AEFML esteve representada na 124ª Assembleia Geral (AG) da ANEM, que decorreu entre os dias 14 e 16 de dezembro, no Porto.

A Ordem de Trabalhos desta AG foi extensa, dividindo-se em três Sessões Plenárias distintas.

Sessão Plenária I

Após aprovada a Ordem de Trabalhos, e uma vez que na AG de setembro não foram apresentadas candidaturas em número suficiente para a constituição do Conselho Fiscal para o mandato de 2019, de acordo com o disposto no Regulamento Eleitoral da ANEM, a apresentação de candidaturas e subsequente votação transitou então para a presente Assembleia Geral.

Assim sendo, apresentaram as suas candidaturas os seguintes alunos:

  • Bruno Sousa (EM-UM)

  • David Cartaxo Gomes (FMUL)

  • Jorge Félix Cardoso (FMUP)

  • Mar Mateus da Costa (EM-UM)

  • Rebeca Santos (NMS-FCM)

Após período de esclarecimentos, procedeu-se à votação dos candidatos por escrutínio secreto. Aplicado o método de Hondt, a composição final do Conselho Fiscal eleito para o mandato de 2019 seria: Presidente  - Mar Mateus da Costa; Vice-Presidente - David Cartaxo Gomes; Vogais - Bruno Sousa, Rebeca Santos, Jorge Félix Cardoso.

A Direção da ANEM procedeu à apresentação do Relatório Final de Implementação do Planeamento Estratégico ANEM 2016-2018, tendo sido realizadas pela AEFML questões no sentido de perceber as conclusões retiradas de um documento tão fundamental para a Federação.  Após o período de esclarecimentos e intervenções, o mesmo foi votado, tendo a AEFML votado a favor.

Planeamento Estratégico da ANEM 2019-2021

O documento apresentado em Assembleia Geral foi redigido com base nas considerações elencadas na Assembleia Geral anterior. A AEFML congratulou a existência de um documento mais concreto, com objetivos claros para o triénio, alertando para a necessidade de este documento funcionar como orientação para os desígnios da Federação. A AEFML votou a favor.

Regulamento das Comissões de Trabalho Extraordinárias

O surgimento deste documento decorreu da necessidade de regulamentação dos modelos de trabalho das recorrentes Comissões de Trabalho criadas na ANEM. Após um período de discussão sobre pontos mais práticos da proposta, a AEFML procurou perceber melhor qual o papel da Mesa da Assembleia Geral e do Conselho Fiscal nas Comissões. A AEFML votou a favor.

Regulamento das Tomadas de Posição da ANEM

Uma Federação como a ANEM sustenta a sua base de intervenção em documentos como as Tomadas de Posição, pelo que a sua regulamentação surge como um passo essencial para a clarificação dos métodos a seguir. Na perspectiva da AEFML, as questões colocadas aos estudantes nas Assembleias Gerais necessitam de uma melhor revisão pelo que propôs a criação de um grupo de crítica, proposta que foi aceite. Por considerar também que as temáticas a discussão necessitavam de uma melhor contextualização, propôs a elaboração, pela DANEM, de um documento a ser disponibilizado previamente à discussão da posição local para contextualização das temáticas. A AEFML votou a favor.

Relatório de Implementação dos Programas Nacionais

Findo o prazo dos Programas Nacionais em vigor, foi apresentado o relatório da sua implementação. A AEFML procurou esclarecer se o documento em causa serviu de base para a construção do documento de reflexão dos Programas Nacionais, bem como o racional para a existência de vários indicadores com valores não preenchidos, tendo sido justificada com a não aplicação dos indicadores. A AEFML alertou para a necessidade da consequência dos documentos apresentados e da sua interligação, tendo considerado muito pertinente a análise destes valores para a reflexão sobre os Programas Nacionais. A AEFML votou a favor.

Propostas de criação, alteração e extinção de Programas Nacionais

Neste ponto foram discutidos as várias propostas de Programas Nacionais, tendo a AEFML apresentado propostas de alteração a Programas Nacionais da Área da Educação Médica, nomeadamente Programa Nacional de Formação Médica Contínua e Programa Nacional de Educação para a Formação Médica Pós-Graduada e Profissionalização e da Área da Formação, no Programa Nacional de Educação Não Formal.

A AEFML votou a favor de todos os Programas Nacionais submetidos em todas as áreas.

Pedidos de credenciação para membros da ANEM para Federações Estudantis e Juvenis

Como penúltimo ponto da Sessão Plenária I, procedeu-se à apresentação e discussão dos pedidos de credenciação de membros da ANEM a Federações Estudantis e Juvenis.

  • José Chen (alumni FMUP) – Candidatura ao cargo de Vice-President for Public Relations and Communications (VPPRC) 2018/2019 da International Federation of Medical Students’ Associations (IFMSA) na próxima March Meeting 2019.

Por fim, procedeu-se à votação da ratificação da decisão do Senado, relativa à candidatura para VPPRC interino. Este pedido já tinha sido previamente aprovado em sede de Senado, tendo então sido ratificado. Contudo, relativamente à candidatura para o cargo de VPPRC, a Direção da ANEM considerou que o José Chen não reunia condições de elegibilidade, por ter terminado o curso em 2018 e pelos timings de apresentação da candidatura, sendo que a Presidente da Mesa da Assembleia Geral questionou se alguém se opunha à decisão da DANEM e ninguém se opôs.

Relatórios de Atividade de Elementos em Cargos credenciados pela ANEM

Como último ponto da Sessão Plenária I, procedeu-se à apresentação e discussão dos seguintes Relatórios de Atividades:

  • Relatório Intercalar do Conselho Nacional da Juventude (CNJ) - Elaborado pela Vogal da Direção do CNJ, integrada na Comissão de Saúde e Bem-Estar - Sara Moura (EM-UM)

  • Relatório final de Credenciação - Elaborado pela SCOME (Standing Committees on Medical Education) Regional Assistant for Europe -  Catarina Pais Rodrigues (FMUC)

Após o período de esclarecimentos, a AEFML votou a favor de ambos os Relatórios apresentados.


Sessão Plenária II  

Relatório Final do Grupo de Trabalho para a Sustentabilidade dos Programas de Intercâmbio

Relativamente ao Relatório Final do Grupo de Trabalho para a Sustentabilidade dos Programas de Intercâmbio (GTSPI), o mesmo foi apresentado e votado. Importa referir que a redação cuidada do mesmo foi notória e a auscultação prévia dos associados, em seio de GT, contribuiu para a proficuidade dos trabalhos, uma vez que as questões foram esclarecidas a priori. A AEFML votou a favor do mesmo.

Regulamento de Acertos dos Programas de Intercâmbio

À semelhança do documento anterior, também o Regulamento de Acertos dos Programas de Intercâmbio estava devidamente redigido, tendo a discussão prévia do mesmo, em seio de GT, permitido agilizar os trabalhos da AG. O documento foi apresentado e votado e a AEFML votou também a favor do mesmo.

Estudos realizados pelo Grupo de Trabalho em Direitos Humanos e Ética Médica (GTDHEM) e Grupo de Trabalho em Educação Médica (GTEM)

Os Estudos realizados pelos GTDHEM e GTEM foram apresentados, havendo um período de esclarecimentos sobre os mesmos.  

A AEFML colocou algumas questões, particularmente no que ao estudo do GTEM - Exposição e perceção dos alunos a competências clínicas  - retrato do 6º ano nas Escolas Médicas Portuguesa - dizia respeito, manifestando a sua preocupação relativamente à desatualização dos dados, junto do CEMP (Conselho das Escolas Médicas Portuguesas), e questionando quais seriam os próximos passos do referido estudo daí em diante.

Pareceres do Grupo de Trabalho em Formação acerca das atividades da Área

Relativamente aos Pareceres do Grupo de Trabalho de Formação (GTF) acerca das atividades da Área de Formação, os mesmos foram apresentados, sendo que a auscultação prévia dos associados e a discussão frutífera em seio de GT contribuíram para a proficuidade dos trabalhos. Foi aberto um período de esclarecimentos no qual a AEFML questionou como se poderia evitar a aproximação “em demasia” das atividades Insight Out e MedSCOOP, tendo a DANEM respondido que a reflexão se cingia somente ao MedSCOOP.

Relatório de Atividades da ANEM 2018 e Relatório de Contas da ANEM 2018

Os Relatórios de Atividades e de Contas da ANEM 2018 foram apresentados por áreas, refletindo o trabalho desenvolvido ao longo do mandato de 2018. Os mesmos foram alvo de apreciação pelo Conselho Fiscal, que, no final de cada área, apresentou o seu Parecer.

Ao longo da apresentação, foram abertos diversos períodos de esclarecimento, sobre as diferentes temáticas versadas, nos quais os associados colocaram as suas dúvidas e a DANEM as esclareceu. Foram ainda submetidas algumas alterações por parte dos associados. Terminada a apresentação, períodos de esclarecimento, intervenções e submissão de propostas de alteração, procedeu-se à votação dos documentos na especialidade. A AEFML votou a favor de ambos os documentos.

Na votação na globalidade, os documentos foram aprovados por unanimidade.

Sessão Plenária III  

Pedido de movimentação do Fundo de Reserva

A DANEM apresentou o seu pedido de movimentação do Fundo de Reserva. Esta movimentação teria como âmbito o investimento na reformulação da plataforma usada na gestão dos Estágios Nacionais, “cujos défices identificados no início do mandato foram sendo sucessivamente verificados ao longo do ano, tendo sido percecionados, adicionalmente, alguns problemas associados a funcionalidades-chave da referida plataforma”. A DANEM frisou ainda que, para que a qualidade dos estágios não fosse afetada, se verificou uma sobrecarga dos Diretores Nacionais e Representantes Locais diretamente envolvidos na atividade, bem como uma dependência de elementos externos à ANEM que, “mediante a sua disponibilidade, trabalharam pro bono na resolução dos problemas que iam surgindo”.

Este ponto da OT gerou alguma celeuma na AG, dadas a indefinição e a interpretação dúbia do conceito de “despesa emergente”, presente no Regulamento do Fundo de Reserva, aplicado a situações como a supramencionada.

Terminado o período de esclarecimentos e intervenções procedeu-se à votação do pedido de movimentação do Fundo de Reserva. O mesmo foi aprovado, tendo os resultados sido os seguintes: Votos contra - 11 | Abstenções - 4 | Votos a favor - 13. (A AEFML votou contra esta movimentação).

Outros Assuntos

No ponto relativo aos outros assuntos, foram apresentadas três Moções:

1 -  “Pela reflexão acerca da plataforma oficial de comunicação da ANEM” (MedUBI; AEFCM; AEFML; NEM/AAC; AEFMUP)

Esta Moção versou sobre a necessidade de reflexão acerca da plataforma de comunicação da ANEM, reflex.at. O facto de a mesma se encontrar desatualizada, sendo por vezes de difícil utilização e pouco user friendly, dificulta a partilha de documentos e a preservação de memória institucional.

Votos contra: 0 | Abstenções: 0 | Votos a favor: 30 (unanimidadade) - A AEFML votou a favor.

2 - “Proposta Comissão de Trabalho Extraordinária para o Regulamento Geral de Associados” (DANEM 2018)

Esta Moção versou sobre a necessidade de refletir sobre a integração de Núcleos e Associações de Estudantes de Medicina na Federação, bem como a necessidade de refletir sobre a participação dos membros associados da Federação, relativamente à responsabilidade inerente à sua integração.

Votos contra: 0 | Abstenções: 4 | Votos a favor: 28 - A AEFML votou a favor.

3 -  “Pela reflexão do valor da quota dos associados (MedUBI; AEFML; NEM/AAC; NEMUM)

Esta Moção versou sobre a necessidade de reflexão acerca do valor da quota da ANEM, cujo valor de 500 euros se mantém fixo desde a sua génese.

Votos contra: 0 | Abstenções: 4 | Votos a favor: 28 - A AEFML votou a favor.

View Event →
Dec
12
7:30 PM19:30
FAL

VIII Assembleia Geral Extraordinária FAL

10483905_1507011312890549_5464299414576042818_o.jpg

Discussão e votação de moções para o ENDA Algarve

Como é habitual nas Assembleias Gerais da FAL que antecedem os ENDA, foram discutidas as moções a levar pela FAL ao ENDA Algarve, nos dias 15 e 16 de dezembro, na Universidade do Algarve, Campus de Gambelas (ver adiante).

Nesta Assembleia, a AEFML apresentou a sua primeira moção, relativa à  implementação e concretização pedagógica do Processo de Bolonha.

  1. Moção: “Por um complemento de Alojamento mais justo no Ensino Superior” (FAL)

  2. Moção: “Redução de vagas” (FAL)

  3. Moção: “Análise ao Orçamento do Estado para 2019 no âmbito da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior” (FAL)

  4. Moção: “Redução do Valor da Propina de 1º ciclo” (FAL)

  5. Moção: “Por um Ensino Superior que contribua na mobilidade social” (FAL)

  6. Moção: “A Pedagogia de Bolonha” (AEFML)

  7. Moção: “Emigração: O impacto da “fuga de cérebros” (AEFCM)

  8. Moção: “Pela Promoção da Diferenciação Académica e Criação de Perfis Institucionais” (AEFCM)

  9. Moção: “Formar quem forma: Moção Pela Formação Pedagógica dos Docentes do Ensino Superior” (AEFCT)

  10. Moção: “Por um Ensino Superior mais adaptado a Estudantes Internacionais” (AEISA)

  11. Moção: “Passe Sub23, Um Passe Para Todos Os Estudantes?”  (AEISCTE-IUL)

Do ponto de vista estratégico, e dado o elevado número de moções apresentadas, a Direção da FAL sugeriu retirar uma das suas moções, propondo aos associados que, caso fosse pertinente, fizessem o mesmo. Posto isto,  as moções “Emigração: O impacto da “fuga de cérebros” (AEFCM) e “Formar quem forma: Moção Pela Formação Pedagógica dos Docentes do Ensino Superior” (AEFCT), acabaram por ser retiradas, com o objetivo de virem a ser apresentadas noutros ENDA, com uma agenda e momento políticos distintos, nomeadamente o ENDA de março.

As 9 moções restantes foram todas apresentadas no ENDA de dezembro.

Protocolo Sagres

O vogal da Recreativa, João Silva, apresentou a redação final do Contrato de Patrocínio entre a SCC - Sociedade Central De Cervejas E Bebidas, S.A., e a Federação Académica de Lisboa, que prevê a existência de uma parceria entre estas duas entidades, sendo que os associados poderão também usufruir das condições dispostas, nos eventos que os próprios organizam. Posteriormente à apresentação da redação final, o mesmo será assinado entre as partes envolvidas.

A AEFML colocou algumas questões sobre a metodologia a ser seguida no futuro e elogiou o trabalho do vogal da Recreativa, João Silva.


View Event →
Nov
16
5:00 PM17:00
FAL

VII ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

10483905_1507011312890549_5464299414576042818_o.jpg

Apresentação da Federação Académica do Desporto Universitário

O Presidente da Federação Académica de Desporto Universitário (FADU), Daniel Monteiro, realizou uma apresentação sobre a mesma, onde versou algumas atividades realizadas (locais, nacionais, internacionais) pela FADU e o Estatuto Estudante-Atleta.

Relativamente ao Estatuto de Estudante-Atleta, o Presidente Daniel Monteiro esclareceu que, apesar de o Estatuto de Atleta de Alta Competição estar desde logo assegurado no Radar IPDJ, o estatuto para o “nível amador" tinha uma lacuna de reconhecimento. Segundo o mesmo, essa lacuna criava desigualdades entre esses atletas e os restantes alunos. O objetivo deste Estatuto seria, então, compensar essas lacunas e reconhecer essa condição aos estudantes praticantes de Desporto universitário. Apesar de a conclusão deste Estatuto, inicialmente, se ter prometido a tempo dos Jogos Europeus Universitários, tal acabou por não acontecer. Acrescentou ainda que, apesar da promessa do presidente da FADU transato, este Estatuto não estaria pronto a aplicar ainda nesta época desportiva.

Relativamente ao Estatuto, a AEFML questionou como estavam os progressos do mesmo, sendo que o Presidente da FADU esclareceu que, por parte da FADU, o documento estava completamente concluído, mantendo-se o contacto regular com o Secretário de Estado. Referiu que, à data da AG, o Estatuto estava em processo de avaliação por parte das Instituições do Ensino Superior (processo cujo atraso de 3 meses no envio impediu que o Estatuto fosse finalizado para este ano-letivo). O Presidente Daniel Monteiro acrescentou que o Estatuto requeria ainda de aprovação pelos Ministros da Juventude e do Desporto e do Ensino Superior e prevê que esteja em vigor para o próximo ano letivo. Por fim, a AEFML questionou ainda se a criação de um estatuto próprio da Universidade de Lisboa poderia fragilizar este documento, ao que o Presidente da FADU respondeu que o princípio do Estatuto de Estudante-Atleta seria regulamentar a base para que posteriormente, as IES pudessem ficar responsáveis por acertar os detalhes/especificidades deste estatuto.

Balanço do Festival Académico de Lisboa

O Presidente da FAL, João Rodrigues, começou por realizar um balanço geral do Festival Académico de Lisboa. Foram enumerados alguns dos problemas major identificados.

Posteriormente, os associados falaram individualmente da sua experiência no FAL, enumerando pontos que correram melhor e pior, sempre com vista a tecer considerações e dar sugestões para construir edições futuras do Festival melhor organizadas.

Alguns dos problemas enumerados relacionaram-se com o som, instalações sanitárias, máquinas de multibanco, organização/disposição do recinto do Festival, controlo de pulseiras e organização dos voluntários. Falou-se ainda da possibilidade de enviar um questionário de avaliação aos participantes, para poder garantir uma melhor e mais completa avaliação da atividade.

Apresentação e Discussão do Relatório Intercalar de Contas do 3º Trimestre do mandato 2018

O Administrador da FAL, José Pais, apresentou o Relatório Intercalar de Contas do 3º Trimestre do mandato 2018 da FAL.  

A AEFML votou a favor da aprovação do mesmo.

Orçamento Retificativo do 4º Aniversário da FAL

A FAL apresentou o Orçamento Retificativo do 4º Aniversário da FAL.

A AEFML questionou a orçamentação de um apresentador. Relativamente ao valor alocado, a FAL respondeu que este tinha sido orçamentado segundo um valor superior ao provavelmente necessário, tendo em consideração orçamentos preliminares previamente pedidos. Relativamente ao motivo pelo qual se considerou contratar um apresentador externo, a FAL respondeu que tinha expectativa de, sendo este externo ao meio estudantil,  tal poderia aumentar o impacto do projeto e atrair outros participantes externos.

A AEFML votou a favor do Orçamento Retificativo do 4º Aniversário da FAL.

Ponto de Situação FAIRe

A Federação Académica para Informação e Representação Externa (FAIRe) constitui a estrutura representativa do panorama português a nível europeu na European Students Union (ESU). Contudo, nos últimos anos, esta estrutura não tem desenvolvido as funções que lhe competem, nem transmitido informações aos seus associados.

No passado encontro europeu da ESU, algumas temáticas importantes foram discutidas, entre as quais: alterações ao modelo de Erasmus e  Estatuto de Refugiados no contexto europeu. Por forma a tomar parte nas discussões tidas, deseja-se que a FAIRe desenvolva o seu trabalho de forma plena, para que a voz dos estudantes portugueses esteja efetivamente representada. Assim, foi levantada a questão sobre a importância de a FAL se mobilizar a nível europeu, através de um maior impacto dentro da FAIRe.

Na perspectiva da  AEFML, a representação a nível internacional fará todo o sentido. Contudo, não sendo a AEFML associada da FAIRe, dificilmente consegue encontrar, neste momento, grandes informações sobre a mesma. A AEFML considera que o reavivar de uma estrutura já existente, privilegiando o contacto com ex-dirigentes, será a melhor solução, contudo, esta posição concreta carece de uma maior contextualização, por parte da FAL, sobre este assunto.

Essencialmente, o objetivo deste ponto foi o de sensibilizar os associados para tomarem uma maior posição a nível internacional e para se envolverem nesta representação dentro do próprio fórum (FAIRe).

Ponto de Situação Relatório OCDE

O Presidente da FAL, João Rodrigues, procedeu à apresentação deste Relatório, reforçando que não houve evolução da situação desde a Assembleia Geral de julho de 2018.

Protocolo FAL e Junta de Freguesia de Alvalade

Este Protocolo institucional surgiu da pertinência de colaborar com uma Junta de Freguesia com uma localização estratégica à atividade das AAEEs, em Lisboa.

A Associação Académica da Universidade da Madeira demonstrou interesse em fazer uma exposição conjunta com a FAL, sobre os 600 anos da descoberta da Madeira. No seguimento deste protocolo, a Junta de Freguesia abriu a possibilidade de instalar esta exposição no Mercado de Alvalade.

Protocolo FAL e Gebalis

A vogal da Responsabilidade Social, Teresa Valido, fez um ponto de situação relativamente ao Protocolo entre a FAL e a Gebalis, empresa de Gestão dos Bairros Municipais de Lisboa, elaborado no âmbito do projeto Academia Consciente.

Foi aberto um período de esclarecimentos e, por fim, o mesmo foi votado. A AEFML votou a favor da aprovação deste Protocolo.

O mesmo viria a ser celebrado aquando do 4º Aniversário da FAL.

View Event →
Sep
28
to Sep 30

123ª Assembleia Geral

covilha.png

A AEFML esteve representada na 123ª Assembleia Geral (AG) da ANEM, que decorreu entre os dias 28 e 30 de setembro, na Covilhã.

A Ordem de Trabalhos desta AG foi extensa, dividindo-se em três Sessões Plenárias distintas.

Sessão Plenária I  

Após aprovadas as atas das AG anteriores, foram apresentados os Relatórios de Participação da delegação da ANEM na European Regional Meeting 2018 e na August Meeting 2018 da IFMSA. A Vice-Presidente para as Relações Externas da DANEM, Joana Teixeira, apresentou os documentos atempadamente enviados, resumindo a experiência de participação das delegações portuguesas em ambos os eventos.

Os Diretores de Intercâmbios Clínicos e Científicos, João Dinis Martins e José Ganicho, respetivamente, apresentaram um ponto de situação do Grupo de Trabalho para a Sustentabilidade dos Programas de Intercâmbios. Este versou sobretudo sobre as conclusões da reflexão tida em seio de GT acerca do método de acertos dos programas de intercâmbio e das taxas de inscrição. Esta última ficou definida a nível nacional, prevalecendo o princípio da igualdade entre todos os estudantes de Medicina das Escolas Médicas Portuguesas, sem prejuízo da acessibilidade aos Programas de Intercâmbio, fixando-se no valor de 220€ (duzentos e vinte euros) a partir da season 2019/2020, de forma a cobrir o custo médio de um incoming em Portugal e mantendo-se igual nos dois Programas (Intercâmbios Científicos e Intercâmbios Clínicos).

A Vice-Presidente para as relações externas, Joana Teixeira, apresentou a proposta de revisão do Regulamento de Participação Internacional. Este documento pretende regular a composição das delegações portuguesas, o modo de candidatura às mesmas, entre outros aspetos logísticos relevantes. Após algumas propostas de alteração, o documento foi votado e aprovado por unanimidade).

O Diretor da Área de Saúde Sexual e Reprodutiva, David Gomes, apresentou a proposta de revisão do Regulamento dos Programas Nacionais. Este documento pretende definir o conceito, o propósito e o funcionamento dos Programas Nacionais da ANEM. Como tal, torna-se uma ferramenta valiosa naquilo que é o cumprimento da atual estrutura da ANEM e na aplicação correta destes mesmos Programas. Após alguma discussão e propostas de alteração, o documento foi votado e aprovado por unanimidade.

O Diretor da Área de Formação, José Durão, apresentou o Programa Nacional de Formação Científica Complementar e o Programa Nacional de Formação Clínica Complementar. Estes Programas surgiram a partir da necessidade de repartir o Programa Nacional de Estágios Nacionais, bastante global e abrangente, nas duas áreas de Formação Complementar que já lhe eram inerentes. Após alguma discussão, nomeadamente acerca dos indicadores a avaliar nestes novos Programas Nacionais, os mesmos foram votados e aprovados. Reforçou-se em sede de AG a importância de refletir acerca dos Programas Nacionais, no seu cômputo geral, desde a sua aplicação, até à sua avaliação e adequação à estrutura da Federação.

Sessão Plenária II

No dia 29, da parte da manhã, decorreram as reuniões dos vários Grupos de Trabalho das várias áreas da ANEM, tendo-se retomado no período da tarde a Ordem de Trabalhos da Sessão Plenária.

O Presidente da DANEM, Edgar Simões, apresentou uma proposta de Posição Global da ANEM, princípio a princípio. Após um período de discussão e apresentação de propostas de alteração, consensualizou-se uma nova versão. Importa realçar que, nesta Tomada de Posição Global, que versava sobre diferentes temáticas do Ensino Médico, foi também incluída a Tomada de Posição relativa aos Encargos e à Prova-Piloto, em vigor desde a 120ª Assembleia Geral da ANEM. Esta Posição Global foi votada, em concordância com as votações previamente realizadas nas Assembleias Gerais de cada associado (no caso da AEFML, na Reunião Geral de Alunos (RGA) de dia 25 de setembro de 2018)  e o documento final foi elogiado e considerado como sendo forte, robusto e relevante para impulsionar os trabalhos da ANEM, particularmente junto de stakeholders.

De seguida, procedeu-se à apresentação do Regulamento Eleitoral 2018 da ANEM. Este regulamento foi discutido e submetido a alterações sugeridas pelos associados, muitas delas relacionadas com incongruências verificadas em relação a outros documentos institucionais da ANEM (Estatutos, Regulamento Geral da Direção). O facto de o Regulamento Eleitoral ter sido discutido na AG Eleitoral, que, estatutariamente, possui como fim somente a Eleição dos Órgãos Sociais da ANEM, e não na AG Ordinária anterior (maio), como inicialmente convocado, tornou o processo eleitoral em vigor mais débil.

Foi também apresentada e discutida a versão preliminar doPlaneamento Estratégico ANEM 2019-2021. A mesmo foi alvo de alguma discussão, que se debruçou sobretudo nas semelhanças existentes entre o documento apresentado e o documento precedente. Foi perceção geral dos associados e do Conselho Fiscal da ANEM que as conclusões do Grupo de Trabalho de Acompanhamento da Nova Estrutura da ANEM não foram verdadeiramente tidas em conta e que a reflexão profunda que seria desejada na construção deste documento também não foi visivelmente realizada. Foram discutidas e propostas alterações (como por exemplo adição de indicadores), a serem consideradas na construção da versão final. O Diretor da Área de Formação da DANEM, José Durão, referiu que essa reflexão foi feita e que o documento apresentado a teve em conta. Na próxima AG Ordinária, em dezembro, será apresentada a versão final deste documento.

Ao final da tarde de sábado e na manhã de domingo, procedeu-se à apresentação das candidaturas à Direção da ANEM para o mandato de 2019. Após a apresentação de cada candidato, foi aberto um período de esclarecimentos.

a) Diretor de Direitos Humanos e Ética Médica

Andreia Oliveira (FMUP) apresentou a sua candidatura.

Ana Margarida Silva (FCS-UBI) apresentou a sua candidatura.

b) Diretor de Intercâmbios Científicos

Inês Melo (FMUP) apresentou a sua candidatura.

c) Diretor de Intercâmbios Clínicos

Diogo Cruz (FML) apresentou a sua candidatura.

d) Diretor de Saúde Pública

Elisabete Neto (FML) apresentou a sua candidatura.

e) Diretor de Saúde Sexual e Reprodutiva

Miguel Carvalho (FML) apresentou a sua candidatura.

Nuno Rua (FCS-UBI) apresentou a sua candidatura.

Gonçalo Soares (FMUP) apresentou a sua candidatura.

f) Núcleo de Gestão, Diretores de Formação e Diretor de Imagem

A Lista S apresentou a sua candidatura. A mesma era composta por:

  • Candidato a Presidente – Vasco Mendes (ICBAS)

  • Candidato a Tesoureiro – João Dinis Martins (FML)

  • Candidata a Vice-Presidente para a Educação Médica e Política Educativa – Carolina Caminata (EM-UM)

  • Candidata a Vice-Presidente para a Gestão Interna – Isabel Fernandes (FCS-UBI)

  • Candidato a Vice-Presidente para as Relações Externas – José Ganicho (FCS-UBI)

  • Candidata a Diretora de Comunicação e Tecnologia – Aisha Ahmad (NMS-FCM)

  • Candidatas a Diretoras da Formação – Beatriz Faneca (FCS-UBI) + Catarina Nunes (FML)

  • Candidata a Diretora de Imagem – Maria Pereira (FMUP)

  • Candidato a Diretos de Projetos e Parcerias – José Sobral Abrantes (NMS-FCM)

Após esclarecimentos, procedeu-se à eleição dos elementos da Direção da ANEM para o mandato de 2019, por escrutínio secreto.

a) Diretor de Direitos Humanos e Ética Médica - Andreia Oliveira (FMUP)

b) Diretor de Intercâmbios Científicos - Inês Melo (FMUP)

c) Diretor de Intercâmbios Clínicos - Diogo Cruz (FML)

d) Diretor de Saúde Pública - Elisabete Neto (FML)

e) Diretor de Saúde Sexual e Reprodutiva - Nuno Rua (FCS-UBI)

f) Núcleo de Gestão, Diretores de Formação e Diretor de Imagem - Lista S


Sessão Plenária III

Seguiu-se a apresentação de candidaturas aos Cargos Eleitos da ANEM para o mandato 2019:

- Conselho Fiscal

Não tendo sido apresentadas candidaturas em número suficiente para a constituição do órgão social, de acordo com o disposto no Regulamento Eleitoral da ANEM, a apresentação de candidaturas e subsequente votação foi adiada para uma futura Assembleia Geral.

- Mesa da Assembleia Geral

A Lista T, composta por: Candidato a Presidente - Edgar Simões (NMS-FCM), Candidata a Vice-Presidente – Inês Miranda (FML), Candidata a Secretária – Marta Almeida (EM-UM), Candidata a Secretária – Madalena Correia (FML).

Procedeu à apresentação da candidatura da Lista T. Após apresentação da candidatura, foi aberto período de esclarecimentos. Findo o período de esclarecimentos, procedeu-se à eleição por escrutínio secreto. A Lista T foi eleita.

Como último ponto da Assembleia, procedeu-se à apresentação e discussão dos pedidos de credenciação de membros da ANEM a Federações Estudantis e Juvenis.

  • Jorge Félix Cardoso (FMUP) – Candidatura à Delegação da International Federation of Medical Students’ Associations (IFMSA) à Regional Meeting da OMS e à Delegação da IFMSA ao World Health Summit.

  • Mar Mateus da Costa (EM-UM) – Candidatura a European Regional Team Fundraising & Development Assistant da IFMSA

  • David Gomes (FML) – Candidatura a SCORA General Assistant

Por fim, procedeu-se à votação da ratificação dos pedidos de credenciação positivos, previamente aprovados em sede de Senado. Todos eles foram aprovados por unanimidade.

View Event →
Sep
1
to Sep 2

ENDA SETEMBRO

Layer+0.png

A AEFML esteve presente no Encontro Nacional de Direções Associativas, nos dias 1 e 2 de setembro, na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril.

Plenário B: Ação Social

[FAL] Ensino Para todos: Um olhar atento para as N.E.E. no ensino Superior atualizada

AEFML votou a favor

Votação: 49 votos a favor | 6 voto contra | 3 abstenção |1 direito de não voto

[FNAEESP] Pela introdução de Justiça na Ação Social Direta atualizada

AEFML absteve-se pois o documento foi votado na globalidade

Votação: 10 votos a favor | 29 voto contra | 19 abstenção |1 direito de não voto



Plenário C: Orçamento de Estado

[FAL, FAP E AAL] Moção Conjunta - Considerações acerca da Lei do Orçamento do Estado 2019 para a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

AEFML votou a favor

Votação: 56 votos a favor | 1 voto contra | 1 abstenção | 1 direito de não voto

[FAL] Moção - Estímulo à Precariedade do Emprego Científico

AEFML votou a favor

Votação: 58 votos a favor | 0 voto contra | 1 abstenção | 1 direito de não voto

[FNAEESP] Pelo congelamento do teto mínimo e máximo da propina

AEFML votou a favor

Votação: 55 votos a favor | 0 voto contra | 1 abstenção | 1 direito de não voto


Plenário E: Financiamento e Organização do Sistema do Ensino Superior

[AEFCSH] Carácter discriminatório da Propina (atualizada)

AEFML votou a favor

Votação: 20 votos a favor | 21 voto contra | 18 abstenção | 1 direito de não voto

[FNAEESP] Doutoramentos no Ensino Superior Politécnico - Uma Prioridade

AEFML votou a favor

Votação: 49 votos a favor | 0 voto contra | 10 abstenção | 1 direito de não voto

[FAL E FAP] Falta uma vaga para o interior (atualizada)

AEFML votou a favor

Votação: 46 votos a favor | 3 voto contra | 10 abstenção | 1 direito de não voto

[FAL e FAP] Redução de Candidaturas ao Ensino Superior

AEFML votou a favor

Votação: 50 votos a favor | 3 voto contra | 6 abstenção | 1 direito de não voto

[AAUM] PREVPAP: uma oportunidade para implementar um novo paradigma de financiamento para as instituições de ensino superior

AEFML votou a favor

Votação: 52 votos a favor | 0 voto contra | 6 abstenção | 2 direito de não voto

Plenário F: Medidas Conjuntas

[AEFCSH] Pré-requisitos, pré-elitização

AEFML absteve-se

Votação: 29 votos a favor | 12 voto contra | 23 abstenção | 1 direito de não voto

[FAL] Estudo sobre o consumo de plástico nas IES

AEFML votou a favor

Votação: 61 votos a favor | 0 voto contra | 3 abstenção | 1 direito de não voto

[FNES] Moção: resistência aos antibióticos (atualizada)

AEFML votou a favor

Votação: 54 votos a favor | 0 voto contra | 10 abstenção | 1 direito de não voto

[AAL] Pelo Regresso dos Jovens Emigrantes

votado por pontos na sua especificidade

RETIRADA POR PARTE DA AAL

[FAL] Proposta - Revisão do Regimento do ENDA

AEFML votou a favor

Votação: 63 votos a favor | 0 voto contra | 2 abstenção | 0 direito de não voto

Plenário G: Plenário Final

Pelo ENDA AAUALG | Votação: Aprovado por unanimidade

View Event →
Sep
1
to Sep 7

EMSA AUTUMN ASSEMBLY 2018

30688491_929362850558734_4907189268859846656_n.jpg

A Autumn Assembly (AA) de 2018 da European Medical Students' Association (EMSA) decorreu entre os dias 1 e 6 de Setembro em Cluj-Napoca, na Roménia. A AEFML fez-se representar através dos seus Vogais Afonso Amorim (na qualidade de National Coordinator)  e Andreia Martins (Local Coordinator). Esta AA dividiu-se em vários momentos, brevemente resumidos abaixo.

Dia 1

Newcomers Session – Sessão de boas vindas aos NCs

Além de um momento inicial de partilha de expectativas, foram abordados os seguintes tópicos:

Financial Documents - A situação de crise económica que se vive na Turquia levantou a questão de, perante a desvalorização da Lira Turca (moeda nacional), poderia surgir o problema de as Full Member Organisations (FMOs) deste país não serem capazes de pagar as suas quotas de associado da EMSA. Questionou-se tanto a possibilidade de pagar em prestações, excluindo-se porque na desvalorização/valorização poderia dificultar a situação, como aumentar o número de FMOs que poderiam pagar em conjunto devido ao desconto aplicável (previsto nos regulamentos da EMSA que, se uma série de FMOs se juntarem para realizar o pagamento conjunto das suas quotas de associado, é aplicável um desconto), que se excluiu por poder causar uma grande perda monetária à EMSA. Assim, surgiu como solução a criação de um Fundo de Suporte (400€) para associações com dificuldades no pagamento das quotas. Ficou de ser debatido em discussão entre a Tesouraria e a delegação Turca, para estabelecer as posições conjuntas antes da discussão do orçamento.

Reports – Relativamente aos relatórios, frisou-se a importância da partilha atempada dos mesmos por parte do EMSA European Board (EEB), para evitar situações de atraso previamente presenciadas. O Supervisory Council (SupCo) comprometeu-se a iniciar uma investigação para perceber a situação em que estes se encontravam e averiguar a necessidade de tomar medidas nesse sentido.  Propôs-se que fosse acrescentado ao Modelo de Relatório uma secção de autocrítica para se poder ter uma visão mais genuína do que foi o mandato.

External Meetings Relativamente aos relatórios das External Meetings, para complementar as informações já presentes nos mesmos, foi proposto que existisse um momento dedicado à apresentação destas External Meetings nas sessões com os NC pre-GA.

Local Coordinators’ Session

Nesta sessão, na qual esteve presente a Vogal Andreia Martins, na qualidade de Local Coordinator, os vários representantes locais apresentaram-se, fizeram um follow-up de assuntos discutidos em reuniões de LCs prévias, participaram num Quiz temático sobre a EMSA e realizaram apresentações em temas como a Passagem de Pasta, Gestão Financeira e Fundraising, utilizando os moldes de peer-teaching.

Dia 2

Simpósio

Ocorreu no período da manhã um simpósio focado em eHealth - área da Telemedicina que aborda a prática de Medicina através do uso de tecnologia de comunicação moderna. Foram apresentadas muitas das inovações já aplicadas ao processo de facilitação do contacto, não só entre médicos e pacientes, mas também entre diferentes médicos que tratam o mesmo paciente.

Sessão Pré-Plenária

Neste momento foram escolhidas as Comissões que regem as Plenárias: Plenary Team (Presidente, Vice-Presidente e Secretário da Mesa), Constitutional Team (CC) (equipa responsável por garantir a constitucionalidade dos processos que vão ocorrendo, de acordo com as Internal Rules da EMSA) e Credential Team (responsável por garantir o adequado processo de voto, distribuir os voting cards, criar as votações no Nemovote - plataforma usada para realizar as votações - e verificar a existência de quórum).

Twinning and Project Fair

Twinning Fair - Lisboa mostrou-se um destino muito apelativo para a realização de Twinning da parte dos outros elementos presentes na AA. Foram estabelecidos e recolhidos potenciais parceiros para realização de Twinning, que foram agrupados num documento para fácil acesso a futuros coordenadores de projeto.

Project Fair- A AEFML levou como projetos o Annual Internation (bio)Medical Students’ Meeting (AIMS Meeting)e o Em Uníssono, por terem sido considerados dois projetos com um relevante impacto na comunidade estudantil da nossa faculdade e por ambos representarem valências diferentes do trabalho realizado pela AEFML. Infelizmente, a maioria das FMOs estavam apenas concentradas na parte do Twinning e eram muito poucas as que estavam a apresentar qualquer tipo de projetos. Ainda assim, foram recolhidas ideias de alguns projetos que foram apresentadas à Direção.

1st Plenary Session

Nesta plenária foram eleitas as comissões nomeadas na Sessão Pré-Plenária; aprovados para discussão relatórios enviados tardiamente, e apresentados os relatórios de atividade do SupCo, da CC (a CC de uma General Assembly (GA) fica em atividade até à GA seguinte, de maneira a continuar o seu trabalho de supervisão constitucional no período de atividade entre GAs) e do EEB. É de frisar que a Assembleia votou contra os relatórios enviados tardiamente.

Foi também realizada uma Last Call para vagas para o mandato 2018/2019 que não tinham recebido nenhuma candidatura, para as quais surgiram candidatos para todas menos para Oficial de Relações Públicas e Oficial de Desenvolvimento de Recursos

Dia 3

LC Sessions

Na segunda LC Session deu-se continuação às apresentações não concluídas na primeira sessão, seguida da sua discussão. No que diz respeito ao processo de Passagem de Pasta, as várias realidades das diferentes FMOs foram apresentadas e discutidas. Já no tópico Fundraising a AEFML foi questionada relativamente à sua experiência particular, desde os métodos de Fundraising utilizados, passando pelo modo como se estrutura a procura (nomeadamente como se escolhem os parceiros-alvo) até às contrapartidas que a AEFML apresenta aos seus parceiros. Em relação a Gestão Financeira de organizações locais, discutiram-se temas como orçamento, contabilidade, reports e auditorias. Na segunda parte da sessão foram criados Small Working Groups que realizaram apresentações em tópicos como: recrutamento de novos membros, envolvimento dos membros, relações externas, relações com os alumni, representação externa, relações públicas, entre outros.

MEDxEMSA

Momento de palestras estilo TedTalks, para as quais todos os elementos presentes na AA se podiam ter candidatado como oradores. Os temas escolhidos foram: "The value of a child's curiosity", "Shutting out the distraction: What? Why? How?", "3 tips for authenticity" e "How do we fight Mental Health stigma?". Foram momentos bastante interessantes, que deram abertura à possibilidade dos elementos presentes nesta Assembleia poderem ter um papel mais marcante e tentar inspirar os seus pares ali presentes.

2nd Plenary Session

A Sessão Plenária iniciou com uma série de Initial Statements.

No momento da discussão do Plano Estratégico, a Presidente do EEB referiu que, em termos de produção de materiais, tem ocorrido uma diminuição devido à menor eficácia por parte dos Appointed Officers.

Houve um momento destinado à apresentação dos países, criando a possibilidade de conhecer melhor a organização e os projetos desenvolvidos noutros países.

Dia 4

NC Session

Nesta sessão foram abordadas as alterações às Internal Rules que tinham sido propostas e que iriam ser votadas na Sessão Plenária.

3rd and 4th Plenary Sessions

Estas duas sessões foram dedicadas à apresentação e discussão das candidaturas apresentadas para o mandato 2018-2019.

Dia 5

LC Session

Na terceira e última LC Sessionconcluíram-se as apresentações dos Small Working Groupse refletiu-se em relação ao TCE (Trainning Center of Excellence). O TCE pretende fornecer ferramentas de capacity building, com o objetivo de potenciar as soft skills dos participantes e alargar o banco de trainers da EMSA. Esta reflexão debruçou-se sobretudo sobre formas de tornar os membros da EMSA mais entusiastas por estas iniciativas. Houve ainda espaço para discutir o envolvimento dos LCs a nível europeu e estratégias para aumentar ou melhorar este envolvimento.  A sessão terminou com a apresentação do novoTwinning Handbooke esclarecimentos pelo Diretor do Pilar de Cultura e Integração Europeia, Adriano Bergamo.

Dia 6

NC Session

Foram discutidos uma série de tópicos na última NC Session da AA:

  • Discussão dos Joint European Projects (JEP) - Os JEP são atividades locais organizadas por toda a Europa que, no seu conjunto, acabam por criar um impacto europeu notório.  Nesta NC Session discutiu-se a importância de apostar nos JEP. Em Portugal,  esta poderia ser uma maneira bastante eficaz de reforçar o impacto da EMSA. Ficou a cargo do Secretário-Geral a reflexão sobre os métodos de aplicação deste programa.

  • Relativamente ao financiamento dos eventos, discutiu-se a possibilidade de aumentar a quota das FMO, de maneira a diminuir o impacto financeiro para os elementos individuais. Considerou-se, também, que seria útil abrir open calls para os NCs ou LCs irem, em representação da EMSA, a eventos externos, quando os membros do EEB não têm disponibilidade para marcar presença.

7th Plenary Session

Esta foi a sessão plenária dedicada à adoção de Policy Papers, tendo sido aprovados os três papers submetidos atempadamente - Health Literacy, Primary Health Care, Nutrition and Health Education - e rejeitados aqueles que foram submetidos após o término do período de submissão - Alcohol Policy and Vaccination - ainda que tenham sido aceites a discussão.

No final, aquando dos Final Statements da Assembleia, a AEFML fez uma declaração relativamente à situação de averiguação da pertinência da permanência da nossa associação enquanto associada da EMSA. No final desta Plenária, deu-se como terminada a AA.

View Event →
Aug
28
7:00 PM19:00
FAL

VI ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

40464174_2128148637443477_8356847588724441088_n.jpg

Esta Assembleia Geral (AG) Extraordinária versou sobretudo sobre questões práticas referentes a diferentes assuntos:

Festival Académico de Lisboa 2018 (FAL) – 28 e 29 de setembro

Foram discutidas questões práticas relativamente ao FAL.: ponto de situação acerca do local do evento, coincidência de data com o evento “Recepção ao Caloiro de Lisboa 2018”, organizado pela Associação Académica de Lisboa,  Regulamento das Barraquinhas de cada associado, normas de funcionamento dos Postos de Venda BOL, questões de segurança e logística.

Adesão de Novos Associados

Foi apresentada e discutida a integração da Associação de Estudantes da Escola de Enfermagem de Lisboa do Instituto de Ciência da Saúde da Universidade Católica Portuguesa. Foi aprovada por unanimidade. À semelhança do sucedido na AG anterior, importa referir que a AEFML não pôde votar, por ainda não ter cumprido os 120 dias sem direito de voto, após a sua admissão (Artigo 6º, Ponto 5, Estatutos FAL).

ENDA Lisboa 2018

Como é habitual nas Assembleias Gerais da FAL que antecedem os ENDA, foram discutidas as moções a levar pela FAL ao ENDA Cascais, nos dias 01 e 02 de setembro, na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ver adiante).

  • Moção “Redução de Candidaturas ao Ensino Superior” (FAL)

  • Moção “Distribuição de Vagas no Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior Público” (FAL)

  • Moção “Precariedade no Emprego Científico” (FAL)

  • Moção “Ensino para Todos – Um olhar atento para as N.E.E no Ensino Superior” (AEIST)

  • Moção: Estudo sobre o consumo de plástico nas IES (AE-ISCTE)

  • Moção “Considerações acerca da Lei do Orçamento do Estado 2019 para a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior” (FAL)


Outros Assuntos

Discutiu-se a manifestação a ocorrer no seguimento da apresentação da Moção "Pela Unidade do Movimento Associativo Estudantil", pela AEFSCH, aquando do ENDA Setúbal, em junho de 2018, bem como as questões logísticas associadas à mesma: agendada para a segunda semana de outubro; baseia-se no manifesto do último ENDA, referente às propinas e alojamento; a imagem gráfica, à data, já se encontrava a ser produzida; o objetivo de envolvimento proposto envolve 5 mil pessoas, contando também com Coimbra, Évora, Porto e Algarve; a divulgação da mesma poderia ser incluída nos vídeos de divulgação do FAL, bem como através de panfletos colocados no kit do caloiro.

Foi feito um ponto de situação acerca da Revisão Estatutária dos Estatutos da FAL e, à data, a comissão destacada para o efeito já estava reunida e tinha agendadas reuniões para o início da semana seguinte.

View Event →
Jul
30
7:00 PM19:00
FAL

II ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA FAL

060.jpg

Balanço da atividade “Campos de Férias FAL”

A atividade Campos de Férias FAL pretende, não só, “suprir a falta de recursos humanos que é por vezes sentida nos campos de férias”, mas também, “fornecer aos estudantes da Academia um programa de férias de caráter formativo e interventivo, onde podem, de forma voluntária, cooperar na organização e dinamização destas atividades de verão, contribuindo assim para a aproximação e responsabilização da comunidade estudantil às questões de cariz social”.

Durante a Assembleia Geral (AG), a Direção da FAL falou sobre a sua perspetiva acerca desta atividade, reforçando que as responsáveis da direção pela Responsabilidade Social referiam a falta de apoio por parte dos associados na realização da atividade. Foi auscultada a opinião dos associados sobre este assunto.

A AEFML referiu a necessidade de se fortalecer a estrutura da atividade, nomeadamente através de uma maior divulgação, da construção de um documento explicativo do projeto que elucidasse os intervenientes, de um maior contacto entre as AE’s e as Juntas de Freguesia, da criação um modelo de atividades que permitisse, desde o início, as Juntas terem conhecimento da atividade, não retirando o espaço das AE’s para adaptar a atividade dentro da matriz existente e, por fim, uma calendarização e planificação das atividades a ser partilhada mais atempadamente. Sugeriu-se a implementação de um inquérito aos intervenientes na atividade (voluntários, monitores, FAL, AE’s) com o intuito de se encontrar as fragilidades da atividade e procurar solidificá-la.

Fez-se ainda menção à importância de repensar o enquadramento geral da Responsabilidade Social face ao desenvolvido até então, desde a visão do pelouro para a Federação, até à capacidade de os diferentes associados darem resposta às atividades da FAL, uma vez que a estrutura-base de muitos destes não se enquadra/adequa às exigências que esta área, maioritariamente prática, impõe aos associados.

Votação da Cooptação dos novos membros

Na sequência dos dois pedidos de demissão apresentados - da Vogal da Responsabilidade Social, Márcia Ferreira e da Vice-Presidente para o mesmo pelouro, Mariana Pinto - foram eleitos, por unanimidade, a Vogal Teresa Valido (AEFML) e o Vice-Presidente Jorge Dias (AEISCTE) para a área da Responsabilidade Social. Importa destacar que a AEFML não pôde votar, por ainda não ter cumprido os 120 dias sem direito de voto, após a sua admissão (Artigo 6º, Ponto 5, Estatutos FAL).

A AEFML solicitou que, para além da importância de se fazer cumprir o Plano de Atividades, fosse feita uma reflexão escrita, para o futuro, sobre esta área, permitindo que um próximo Plano de Atividades seja construído com base em algo refletido, a partir da opinião de todos os associados. Foi referido pela Direção da FAL que, além de se comprometer a cumprir o Plano, seria tida essa reflexão.

Protocolo de colaboração FAL e AAUMa

Os protocolos de colaboração estabelecidos entre a FAL e diversas entidades visam a construção de uma parceria vantajosa para ambas as partes, em diversas áreas de interesse comuns.

À data desta AG, os protocolos desta índole já oficializados eram: com a Académica de Évora e com a Académica do Algarve. Ao abrigo destes protocolos a FAL organizou, em conjunto com estas académicas, o InformSul, um evento de formação para dirigentes, fortalecendo relações entre as federações.  

No seguimento da apresentação do protocolo de cooperação com a AAUMa, a AEFML sugeriu que, no fim do tempo de vigência de um protocolo de colaboração (2 anos), fosse construído um documento conjunto, entre os intervenientes, que incluísse, não só, uma reflexão sobre atividades futuras que se pudessem desenvolver ao abrigo do protocolo, como também, uma reflexão que incluísse a identificação de pontos que possam estar a falhar.

O protocolo foi aprovado por unanimidade.

Academia Consciente: Ponto de Informações

O projeto Academia Consciente, “com espaço físico no Bairro Padre Cruz, tem em vista a promoção de um plano cultural, científico e pedagógico, dinamizado por estudantes universitários, e direcionado para crianças e jovens inseridos num contexto social adverso, visando a sua capacitação em termos de desempenho escolar, integração social e entrada no mercado de trabalho.”

No ponto de informação realizado pela Direção da FAL, até à data da AG, foi referido que tinham sido estabelecidos contactos, nomeadamente com a Gebalis – empresa de gestão de imóveis de habitação municipal - para se dar início às obras de revitalização deste espaço.

Atividade do Centro de Estudos e publicação da Análise ao Relatório da OCDE

Relativamente à análise ao relatório da OCDE, que a FAL se propôs a realizar, segundo o Presidente da FAL, a mesma encontrava-se à data da AG pronto para ser impressa e publicada. Neste ponto da AG, os dois investigadores do Centro de Estudos que colaboraram com a FAL na construção deste documento foram convidados a entrar e apresentados presencialmente.

Projeto “De Mulher Para Mulher - dMpM3

Foi apresentado o projeto de formação De Mulher Para Mulher - dMpM3, que pretende combater a discriminação feminina e promover a igualdade de género. Este projeto, promovido pela REDE e pelo IPDJ foi apresentado na sua globalidade, ficando a FAL de informar os associados por email sobre atividades que pudessem vir a ocorre neste âmbito.  

Outros Assuntos

No ponto dos Outros Assuntos, o Presidente da FAL falou da intenção da Direção em realizar uma Revisão Estatutária.

View Event →